Nasa começa 2012 com duas sondas na órbita da Lua

Postado por Admin em 3 de janeiro de 2012



O pessoal da NASA não pôde celebrar o ano novo com champanhe (álcool é proibido por lá), mas teve motivos extras para comemorar. É que as sondas gêmeas do Laboratório de Recuperação da Gravidade e Interior (ou Grail em inglês, que também significa “graal”) finalmente completaram a viagem de três meses e quase 4,2 milhões de quilômetros percorridos e entraram na órbita da Lua neste fim de semana. “A NASA recebe o ano novo com uma nova missão de exploração”, disse Charles Bolden, administrador da NASA. “As naves gêmeas Grail vão expandir vastamente nosso conhecimento da Lua e da evolução do nosso planeta”, completou.

Lançadas em setembro, as sondas irão mapear o interior do satélite natural da Terra em uma missão inédita que custará 496 milhões de dólares e deve durar 82 dias e começar em março – mas pode ser prorrogada se as naves, alimentadas por bateria solar, resistirem ao eclipse solar de junho.

Nos próximos dois meses, as naves terão suas órbitas ajustadas. Elas ficarão a 200 quilômetros de distância uma da outra, mas esse valor deve variar. E é essa variação que interessa aos pesquisadores. É que, na Lua, existem áreas de maior e menor gravidade graças a características visíveis, como montanhas e crateras, ou invisíveis, como massas ocultas sob a superfície. Essas mudanças na gravidade farão com que as naves diminuam ou aumentem levemente sua velocidade, e isso vai modificar a distância que as separa. Sinais de rádio transmitidos pelas duas espaçonaves irão fornecer aos cientistas as medidas exatas dessa variação e, com isso, será possível criar o mais preciso mapa do campo gravitacional lunar já feito. E, com esse mapa, os cientistas poderão deduzir o que há embaixo da superfície da Lua, incluindo o tamanho de um possível núcleo interior.

“Embora, desde a década de 1970, tenhamos enviado mais de uma centena de missões à Lua, inclusive duas nas quais os astronautas caminharam sobre a sua superfície, a verdade é que há muitas coisas que não sabemos sobre ela”, disse Maria Zuber, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), que é a pesquisadora-chefe do programa Grail, em coletiva de imprensa. Entre as coisas que os cientistas ainda não sabem está o motivo de o lado oculto da Lua (ou aquele que não pode ser visto da Terra) ser tão diferente do lado visível. A resposta, acreditam eles, deve estar no interior do nosso satélite.

A missão Grail também pretende descobrir se a Terra já teve uma segunda lua. Astrônomos acreditam que algumas das marcas na superfície da Lua poderiam ser resultado de uma colisão com um satélite menor.




Contador de Visitas

curiosidades do mundo, noticias Curiosas, fotos curiosas, videos incriveis, sobrenatural, videos engraçados, super interessante, pegadinhas, mistérios