Como sabemos a física não é tão fácil de se compreender, esse post é muito uma prova disso mas tentamos o simplificar, para que fique com melhor compreensão e também um pouco mais normal.

Se você conseguisse viajar para o espaço em uma velocidade inimaginável para nossos padrões, você chegaria numa galáxia como a Via Láctea, iluminada por uma estrela igualzinha ao Sol, um planeta com atmosfera, mares e continentes, assim como a Terra. Entre seus habitantes, estão primatas desenvolvidos, que construíram grandes cidades. A sua cidade está lá. Sua casa também. Ei, quem é aquele lendo um artigo sobre universos paralelos em um computador, sentado igualzinho a você? Se você parou para pensar, saiba que seu outro “eu” acaba de fazer a mesma coisa.

Nada disso é ficção científica. A mecânica quântica consegue comprovar que existem inúmeras pessoas iguais a você. Podemos recorrer a uma teoria bem mais simples e antiga, a do Big Bang, que já permite entender que o nosso universo não é o único. A partir desta constatação, é possível concluir que existem outros, idênticos aos nossos.

O mais longe que a luz das estrelas consegue viajar até nós é por 13,7 bilhões de anos, data que remonta ao nascimento do Universo. Ou, em termos de distância, 4 x 1023 quilômetros. Mas isso não quer dizer que não exista nada depois. Significa apenas que o restante está além do que conseguimos enxergar hoje com nossos telescópios. Mas sabemos que os outros universos estão lá, e que eles surgiram da mesma forma, e ao mesmo tempo, que o nosso.

Estamos, portanto, dentro de uma bolha, no meio de um infinito número de outras bolhas — que, por sua vez, tiveram seus próprios Big Bangs e seguem leis da física idênticas às nossas. Pequenas diferenças nas condições iniciais de surgimento devem ter gerado universos com galáxias e estrelas dispostas de outra forma. Mas existem outros que tiveram exatamente o mesmo processo de gestação e geraram clones de tudo o que conhecemos.

Os processos que formam universos são os mesmos. Eles podem ter sido misturados em quantidades um pouco diferentes, mas não existem combinações suficientes para garantir que todos sejam únicos. Houve momentos em que o processo se repetiu exatamente da mesma forma, e assim surgiram universos idênticos aos nossos. Se eles são iguais, lá está outra Terra, outros seres humanos como nós. É esquisito, até mesmo contraintuitivo, mas já pode ser comprovado pela física.

A noção de que existem múltiplos “eus” vivendo a mesma vida que nós no mesmo momento apresenta uma questão filosófica importante:temos controle sobre nossas vidas ou nosso destino já está decidido desde que nascemos? Se temos controle, como é possível que todos os outros “eus” tomem as mesmas decisões juntos?

É, essas informações nos fazem crer que mesmo achano tudo isso uma loucura, em certas partes o texto pode ter sim algum sentido, mesmo que você não acredite, e também achar que a física é sem dúvida bem mais complicada do que pensamos, quem sabe um dia poderemos a compreender com um pouco mais de clareza e assim tirarmos nossas próprias conclusão sobre os fatos apresentados por ela.


1 comentário em “Física pode provar que existem vários “eus” vivendo a mesma vida que nós

  1. rodrigo f

    cara tipo a mecânica quântica explica q a matéria pode estar em dois lugares ao mesmo tempo.
    mas eu creio q em outros universos esta matéria seja diferente pois posivelmente as leis q governão este universo seja bem diferente desta aki por isso nao acho q eu esteja postando este comentario em outro universo.
    mas claro eu posso estar errado pois tudo é possível

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Contador de Visitas

curiosidades do mundo, noticias Curiosas, fotos curiosas, videos incriveis, sobrenatural, videos engraçados, super interessante, pegadinhas, mistérios