Eca! Aqui estão 7 alimentos grotescos feitos a partir do corpo humano

Postado por Rudney em 19 de dezembro de 2013



De café de cocô de gatos do Sudeste Asiático para o sangue de galinha gelatinoso, os seres humanos comem uma grande variedade de alimentos que muitos outros considerariam revoltante.

Pode parecer estranho e com certeza muito nojento, mas fique sabendo que algumas pessoas estão levando a definição de grupo alimentar a um nível totalmente novo, tentando incorporar resíduos humanos e bactérias na cadeia alimentar. De salsicha de cocô infantil para queijo de umbigo, aqui estão alguns dos mais revoltantes “alimentos humanos”.

7 – Queijo de bactérias de umbigo

Este ano a exposição chamada “Selfmade” na galeria Ciência de Dublin (Irlanda), exibiu um queijo feito com bactérias de lágrimas humanas, narizes e umbigos. A análise do cheiro do produto revelou que cada queijo tem o odor do local do corpo do qual foi retirado a bactéria. Infelizmente (ou felizmente), os visitantes da exposição não foram autorizados a provar.

6 – Queijo materno

Embora o leite materno seja considerado o melhor alimento para bebês, alguns gourmets vêm tentando expandir o mercado do leite humano para além das crianças.

Em 2010, uma galeria de Nova York permitiu que aos curiosos provar um pedaço de queijo de leite materno num show chamado “The Lady Cheese Shop”. Para não ficar atrás, uma loja de Londres, vendeu um sorvete de leite materno até que o departamento de saúde confiscou as iguarias. Um chef de Nova York ofereceu também um queijo do leite materno para seus clientes.

5 – Salsicha de cocô de bebê

Não contente em roubar a comida da boca dos pequeninos, outros cientistas perguntaram-se se o cocô das crianças poderia ser usado para fazer… salsichas.

Em um estudo de 2013 publicado na revista Food Microbiology, os pesquisadores especularam sobre a possibilidade de colher bactérias de cocô de uma criança, principalmente a Lactobacillus gasseri e o Enterococcus faecalis, para servirem como base para a fermentação de salsichas.

4 – Bebidas de urina

Muitas pessoas beberam urina ao longo da história por razões culturais, como alguns praticantes de medicina alternativa que alegam que o alto conteúdo de minerais e nutrientes da substância é benéfico. Guias de campo do Exército dizem que beber urina é uma boa ferramenta de sobrevivência quando se está no deserto.

Apesar de urina fresca ser geralmente estéril, o xixi guardado pode conter bactérias nocivas. E por ter níveis tão elevados de sais e minerais, a urina também pode levar a desidratação se for bebida de forma isolada.

Mas algumas pessoas querem ir para um esforço adicional para não desperdiçar este líquido do corpo humano. Em 2011 no fórum “Wild Fermentation”, o usuário rawchickadee lançou a questão sobre se é possível colher os nutrientes e minerais na urina humana e usa-los em bebidas. “Eu realmente espero que isso seja possível. É uma pena vê-los ir para o lixo”, escreveu o usuário. Ainda assim, não está claro se o usuário decidiu ir em frente com sua ideia.

3 – Placenta humana

A nova tendência de mães comendo sua placenta após o parto tem vindo a aumentar em determinados segmentos da população dos EUA há anos. Muitas mulheres fazem congelamento e transformam sua placenta em pílulas para comer depois de dar à luz. Comer a placenta, um ato conhecido como placentofagia, é comum entre alguns mamíferos, como cabras, que comem a placenta para o seu impulso nutricional. Os praticantes acreditam que comer a placenta pode afastar a depressão pós-parto, mas os médicos dizem que não há nenhuma evidência.

2 – Alimentos à base de sêmen

Embora para muitas pessoas, não é exatamente raro comer alguns sêmen no curso da vida, algumas pessoas levam o ato de comer este fluído a outro nível. Em um experimento informal em 2011, a BBC pediu a três mulheres que fizessem um teste de gosto do sêmen dos parceiros para ver se os alimentos que ingerimos influenciam no sabor do esperma. (Duas das três mulheres alegaram que poderia distinguir diferenças.)

E o livro “Colheita Natural – Coleção de receitas à base de sêmen”, que tem 43 receitas – muitas em tom de gozação -, tem como objetivo mudar o fato de que o sêmen tem sido “negligenciado como um alimento”. Outro livro, do mesmo autor Paul Photenhauer, chamado “Fotie”, visa ensinar aos leitores como para misturar coquetéis usando o fluido.

1 – Alimentos contaminados

Para cada mistura alimentar estranha que é conscientemente consumida por seres humanos, há uma enorme quantidade de alimentos contaminados que podem embrulhar qualquer estômago. De leite contaminado com melamina até carne de porco “avatar” cheia de bactérias fosforescentes que brilham em azul, a China teve a sua quota de produtos alimentares assustadores.

Mesmo os Estados Unidos não está imune a crises alimentares: o processo de enxágue carne moída em amônia para remover possíveis bactérias causou também indigestão quando foi revelado.

Mas lendas urbanas e reportagens também espalharam alguns horrores alimentares ao longo dos anos. Por exemplo, em 2011 uma história captado pelo Daily Mail, Discovery News e LiveScience a partir de um vídeo do YouTube afirmou que um cientista estava fazendo hambúrguer de carne de proteínas extraídas de cocô humano. Os hambúrgueres de cocô acabaram por ser uma brincadeira.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Contador de Visitas

curiosidades do mundo, noticias Curiosas, fotos curiosas, videos incriveis, sobrenatural, videos engraçados, super interessante, pegadinhas, mistérios