O metal que faz com que as garras de Wolverine sejam praticamente indestrutíveis, pode ser uma realidade mais cedo do que você pensa.

O super-herói Wolverine, possui garras que saem de sua mão, assim como todo o seu esqueleto, são feitas de adamantium, uma liga metálica indestrutível existente apenas nos quadrinhos da Marvel. O adamantium é, naturalmente, não real. Mas, no universo Marvel, é uma liga de aço, que é um dos materiais mais indestrutíveis na Terra (capazes de facilmente cortar a maioria dos outros tipos de aço).

O adamantium foi o produto de tentativas fracassadas de recriar o material no escudo do Capitão América. Ambos são ligas, compostos de combinações de vários materiais que o compõem. E ambos contêm aço e vibranium (também fictício).

O próprio aço é uma liga, que consiste na sua forma mais básica de ferro e pequenas quantidades de carbono. No entanto, outros materiais podem ser adicionados para alterar as propriedades do aço, tornando-o mais forte, mais flexível ou mais resistente à corrosão.

E, enquanto ninguém fora do universo Marvel criou adamantium (ainda), os pesquisadores estão constantemente aprimorando as fórmulas para a produção de aço para elaborar ligas metálicas com características mais desejáveis.

“Nos quadrinhos, tanto o escudo e o adamantium do Capitão América foram resultados de esforços para desenvolver novos metais para a defesa nacional. No mundo real, as novas ligas de ferro são criados para uma ampla gama de aplicações”, diz Suveen Mathaudhu, gerente de programa da divisão de ciência dos materiais do Escritório de Pesquisas do Exército dos EUA, adjunto professor de ciência de materiais na NC State University e fã incondicional de quadrinhos.

“Outro avanço veio em 2008, quando pesquisadores da NC State desenvolveram uma liga de ferro que era extremamente forte e teve alta estabilidade térmica”, diz Mathaudhu. A resistência é aqui definida, como a capacidade de um material para resistir a forças sem deformação ou de ruptura. A estabilidade térmica é a capacidade de um material para manter a sua força a temperaturas elevadas (até 1300 graus Celsius, neste exemplo).

“Essas características são importantes, porque quanto mais forte um material é, menos você precisará dele, diz Mathaudhu. “Assim, um material mais forte que pode suportar altas temperaturas é uma promessa para o uso em ambientes extremos”. Pense em motores leves ou estruturas de apoio em aviões ou automóveis. Menos peso significa mais eficiência de combustível.

E o desenvolvimento de novas ligas está em aceleração. Os pesquisadores agora estão usando modelos computacionais para projetar ligas que têm características personalizadas de design: a mistura precisa de força, resistência e flexibilidade necessários para fazer um trabalho específico. Os dados desses modelos permitem que os cientistas produzam materiais e consigam determinar quais os elementos precisam ser incorporados, e que passos serão necessários para o processamento e produção do produto e liga desejada.

Ainda temos que criar uma liga indestrutível, mas estamos chegando cada vez mais perto de ligas que podem rivalizar com adamantium.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Contador de Visitas

curiosidades do mundo, noticias Curiosas, fotos curiosas, videos incriveis, sobrenatural, videos engraçados, super interessante, pegadinhas, mistérios