7 Experiências científicas que deram terrivelmente errado

Postado por Rudney em 17 de setembro de 2013



Experiências científicas são essenciais para a nossa evolução: sem ciência, não teríamos muitos dos dispositivos e tratamentos médicos que temos hoje. Enquanto algumas experiências foram considerados bem sucedidos, outros deram terrivelmente errado e muitas vezes resultaram na morte do paciente, ou na morte do próprio cientista.

Aqui você vai encontrar os 7 experimentos científicos que deram terrivelmente errado:

1. Otto Lilienthal e o voo experimental

Assim como muitos outros cientistas no século 19, Otto Lilienthal também sonhou em construir uma máquina de voo que iria permitir que os humanos conquistassem os céus, assim como os pássaros. Infelizmente, ele não foi o único que morreu em sua tentativa de criar uma máquina voadora. Sua morte ocorreu em agosto de 1896, quando ele caiu de nada menos do que 17 metros de altura, enquanto testava uma de suas invenções. O aumento da pressão atmosférica o levou a entrar em colapso e sofrer uma fratura da coluna vertebral. Lilienthal imediatamente entrou em coma profundo e morreu no dia seguinte, em 10 de agosto, devido a uma hemorragia cerebral maciça.

2. O Estudo Monstro

O infame Estudo Monstro como ficou conhecido, foi conduzido pelo fonoaudiólogo Wendell Johnson volta em 1930, em 22 crianças órfãs com problemas de gagueira, que estavam sob os cuidados de um orfanato de Iowa (EUA). O estudo foi muito complexo e pretendia provar que a gagueira é um comportamento aprendido que pode ser induzido em crianças através de condicionamento psicológico. Para isso, seis das crianças foram submetidas à pressão psicológica para tentar induzi-las a gagueira, enquanto as outras serviram como grupo de controle. Segundo os resultados do experimento nenhuma das crianças adquiriu gagueira, mas algumas passaram a se negar a falar e a se comportar de maneira inibida.

3. Experimento na Unidade 731

Este é mais um experimento científico que deu errado. A experiência na Unidade 731 refere-se à pesquisa de guerra biológica que realizou experimentos químicos fatais com seres humanos durante a Segunda Guerra Mundial, e acredita-se ser responsável por alguns dos crimes de guerra mais notórios de todos os tempos a ser realizado pelos japoneses. As experiências humanas levaram à morte de milhares de homens, mulheres e crianças no acampamento localizado na cidade de Pingfang (China). O resultado? Um grande número de cientistas que estiveram envolvidos na “Unidade 731 Experiment” foram presos e julgados por crimes de guerra.

4. O Experimento com a chimpanzé Gua

Este é mais um experimento fracassado que visava provar que os chimpanzés podem se comportar exatamente como seres humanos. Conduzido pelos cientistas Winthrop e Luella Kellogg, o estudo envolveu o filho do casal (Donald) e a chimpanzé Gua. O casal deu ao animal os mesmos cuidados recebidos por seu filho, durante nove meses. No entanto, a experiência não conseguiu provar que os chimpanzés podem desenvolver a linguagem ou habilidades humanas. Embora Gua foi capaz de manter-se com Donald ao realizar determinadas tarefas como reconhecimento de face, ela era incapaz de falar. No final, o menino que passou a se comportar como macaco. O chimpanzé foi depois devolvido ao centro de primatas.

5. De Robert White: O transplante de Cabeça de Macaco

Robert White era um cirurgião de renome e tentou provar que ele podia separar com sucesso a cabeça de um macaco e anexá-la a um novo corpo. Embora a experiência acabou por sendo bem sucedida no início, dado o fato de que o macaco era capaz de cheirar e reagir (e até tentou morder alguns dos membros da equipe), o macaco morreu um dia depois.

6. A cura para a esquizofrenia de Ewen Cameron

De volta aos anos 1950 e 1960, muitos psiquiatras e cientistas usaram métodos não convencionais no tratamento de pacientes que sofriam de várias doenças mentais, especialmente a esquizofrenia. Naquela época, não era incomum ter diagnósticos errados dos pacientes. O psiquiatra Ewen Cameron usou uma técnica chamada de condução psíquica, que teve como objetivo quebrar a personalidade do paciente para ajudá-lo a conseguir uma nova. O tratamento foi administrado a centenas de pacientes, não importava se eles estavam sofrendo de esquizofrenia ou não. Os pacientes foram obrigados a usar fones e ouvirem mensagens tocadas repetidas vezes por dias ou até mesmo semanas, uma dessas mensagens era: “Quando você avistar um pedaço de papel, você irá pegá-lo”. Posteriormente, ele levou seus pacientes a um ginásio vazio, no meio do qual havia um pedaço de papel. Cameron observou com alegria que muitos dos pacientes foram direto até o pedaço de papel para pegá-lo. Após interesse, a experiência de Cameron foi financiada pela CIA, mas a agência concluiu que a técnica foi um fracasso, o financiamento foi cortado e Cameron foi processado por muitos de seus ex-pacientes.

7. O Experimento com LSD em um elefante

O experimento foi realizado na década de 1960 e envolveu injetar LSD em um elefante. O tiro destinado a induzir um estado violento e incontrolável ao animal, não foi bem sucedido dado o fato de que o elefante morreu logo após que o tiro de LSD foi administrado. Acredita-se que a dose mais elevada (3 mil vezes a dose típica utilizada em seres humanos), causou um colapso no elefante que o fez entrar em convulsão e, finalmente, levou-o a morte. Este experimento ainda é analisado hoje e recebeu uma série de críticas de outros cientistas, que afirmam que Louis West (o homem que conduziu o estudo) agiu anticientificamente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Contador de Visitas

curiosidades do mundo, noticias Curiosas, fotos curiosas, videos incriveis, sobrenatural, videos engraçados, super interessante, pegadinhas, mistérios